Photography

o desafio

Image

© Bernardo Martins 2013

Um dia destes uma amiga comentou no Facebook, a propósito da partilha de uma fotografia, que deveria escrever um texto a acompanhar as fotografias que vou partilhando. Esse é um exercício que tenho tentado deixar para o blog, partilhado para já apenas com uma ou outra pessoa.

Entre o encontrar as palavras e a falta de tempo – embora o tempo não falte – parece mais fácil o partilhar do momento do que o embelezar com palavras, embora e pelo facto de querer partilhar esses décimos de segundos (e de o fazer bastantes vezes), o fotograma por si só não chega.

Este fotografia em particular foi captada do quarto. Há uma certa curiosidade e voyeurismo ao olhar para interior da vida dos outros. Fascina-me pensar que cada janela se assemelha a um quadro, tem uma vida própria e que olhando para a janela do lado consigo ver algo completamente diferente, uma outra representação. São assim as caixinhas aqui em Dublin.

Embora não seja exactamente o momento que desejasse, a ansiedade para o partilhar e talvez a falta paciência para esperar ditaram que assim fosse, aguardarei por uma outra encenação e a altura para a captar.

Standard
Photography

há um momento

© Bernardo Martins 2013

Há um momento mesmo antes do pôr do sol em que as árvores parecem destacar-se da massa sombria da selva, transformando-se em indivíduos. Nessa altura não se consegue ver o todo por causa dos pormenores. Naquela hora mágica, as árvores parecem adquirir uma vida diferente, não sendo difícil imaginar que são habitadas por espíritos e que, chegando o crepúsculo, terão a capacidade de mudar de lugar. Sente-se que a dada altura lhes acontecerá alguma coisa estranha e que serão sujeitas a uma transfiguração prodigiosa. Sustemos a respiração à espera de uma maravilha, e o nosso coração, só de pensar nela, inflama-se como uma espécie de impaciência apavorada.

Um Gentleman na Ásia, Sommerset Maugham

Standard